domingo, janeiro 09, 2011

Facinha

Na minha frente, no ônibus, dois adolescentes conversavam.
– Vô nela. Sem problema?
– Se ela tiver a fim...
– Né isso. Você vai se chatear?
– Que papo estranho. Vai nela. Se ela quiser...
– Tô a fim de namorar, não. Só dar uma pegada.
– Aí é sacanagem. Você sabe que tô numa de ficar um tempo com ela.
– Melhor pra você. Dou uma pegada e ela fica liberada.
– Aí, ó, você tá dizendo que a mina é facinha. Cê vai chegar e pegar.
– Ela me dá mole. Só não peguei por nossa amizade.
– Aí, ó, por isso não. A gente não tem mais amizade. Pode pegar, à vera.
O garoto levantou, deu sinal de parada e desceu.
– Ô babaca, você tá duro. Eu paguei sua passagem.
– Foda-se, prefiro ir a pé. Facinha ela não é mesmo.

2 comentários:

Mariana Serra disse...

Excelente, Uta!
Nas conversas alheias de ônibus ouve-se tanta coisa...meu ouvido feminino (que já é um radar por natureza), está sendo treinando constantemente...

Utahy Santos disse...

A única coisa boa de andar de ônibus é essa: ouvir doideiras.